Full width home advertisement

Segurança Pública

Armamento e Tiro

Saúde

Ocorrências

Post Page Advertisement [Top]

Armamento e Tiro: A Regra dos 21 Pés


Apenas no ano de 2017 foram cometidos, no Brasil, 8.785 homicídios com armas brancas (ver fontes abaixo). Isto representa cerca de 13% dos 65.602 homicídios totalizados no ano. Para comparação, em 47.510 destes foram utilizadas armas de fogo (cerca de 72% do total).

Estes percentuais são médias nacionais. Há locais onde este percentual é maior e, em outros, menor. Em Roraima, por exemplo, ocorreram mais homicídios utilizando armas brancas (97) que de fogo (93) naquele ano. Já no Rio de Janeiro, 250 dos homicidas utilizaram armas brancas. Uma pequena fração, comparando-se aos 4.411 que utilizaram armas de fogo.

Assim, não é absurdo dizer que o número de homicídios com armas brancas é considerável, merecendo atenção. Sobre isso, houve um tempo em que se acreditou que um “mocinho” portando um revolver (ou outra arma de fogo) sempre venceria uma “vilão” com uma faca (ou outra arma branca). Será verdade?

Depende. E depende, principalmente, da distância entre os dois. Mas, quão perto de um “homem mau” com uma faca é perto demais?

Essa foi pergunta na qual o policial do Departamento de Polícia do Salt Lake City, Dennis Tueller, se debruçou e buscou responder no famoso artigo “How Close is Too Close?”, publicado em 1983. Não menos famosos ficaram o “Tueller Drill” e a famosa suposta regra dos 21 pés (ou 7 metros, por grosseira aproximação).

Tueller raciocinou da seguinte forma: primeiro, estimou o tempo aceitável para sacar a arma e efetuar dois disparos no centro de um alvo a distância de 6 metros e meio, aproximadamente. Concluiu que este tempo é de algo entre 1 e 1 segundo e meio. Considerou então uma “Zona de Perigo” em torno do atirador, caso confrontado por um homem portando uma arma branca. Por fim, estimou que um homem médio e saudável percorre cerca de 21 pés (ou 6,4 metros, aproximadamente) neste tempo de 1 a 1,5 segundos. Este seria então o raio da “Zona de Perigo”.

Simples, não? Então basta o atirador ou policial estar a mais de cerca de 7 metros para estar em segurança contra um homem com faca, correto? Não exatamente.

Algumas coisas precisam ser consideradas. Por exemplo, o tempo de reação do policial ameaçado pode ser determinante. Lembre que o policial está reagindo à uma injusta agressão. Aqui o agressor leva alguma vantagem. Também, ainda que o policial consiga dois disparos certeiros, estes podem não ser suficientes para cessar a agressão. A inércia também pode estar contra o policial, vez que o agressor, mesmo ferido, pode ainda atingi-lo gravemente.

De todo modo, uma distância de no mínimo 7 metros pode ser um bom parâmetro para proteção do policial enfrentando um agressor portando uma faca. Isso não significa que, estando o agressor dentro da “Zona de Perigo” do policial, este deva necessariamente agir de forma letal. De forma alguma. A suposta “Regra dos 21 Pés” não é sequer uma regra, mas tão somente uma observação útil para a segurança do policial. Não é uma zona com licença para matar.

Não custa lembrar que o dobro da distância não representa o dobro do tempo. Se um homem médio e saudável percorre cerca de 6,4 metros em 1 a 1,5 segundos, partindo da posição “parado”, percorrerá distância maior a partir daí. Isto porque, para os próximos metros, já estará em movimento. Portanto, o aumento da distância não necessariamente terá a implicação proporcional no tempo.

Por fim, o artigo ainda traz algumas valiosas sugestões para o caso do policial estar defronte à uma potencial ameaça utilizando arma branca. Em breve resumo com algumas observações do autor:

- Treine! Quanto maior sua habilidade com a arma de fogo, menor a sua “Zona de Perigo”. Portanto, treine!

- Esteja atento! O tempo de reação depende de sua percepção do perigo. E sua vida pode depender disso.

- Verbalize. “Pare!”, “Não se mova!” ou “Largue sua arma!” podem ser eficazes em evitar um confronto.

- Ao perceber um perigo iminente, saque a arma. Isso pode reduzir o tempo de reação, caso seja necessário.

- Procure posicionar-se de modo a haver obstáculos entre você e o agressor. Um veículo, uma lata de lixo. Qualquer coisa que dificulte o caminho do agressor pode ser útil para ganhar tempo.

Caso precise disparar, talvez convenha dar alguns passos para trás. Isso pode aumentar a distância entre você e o agressor.

IGOR CAVALCANTE - Policial há 13 anos, especialista em Análise Criminal, com mestrado em Matemática. Tenho especial interesse no uso de dados para auxiliar na compreensão dos fenômenos sociais e na atividade policial.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Bottom Ad [Post Page]

| Designed by AZUL MARINHO NEWS